Caldeiras aquatubulares

Como uma das formas mais antigas de caldeira a vapor, remontando originalmente ao século XVIII, as caldeiras de tubos de água, que alimentavam pequenos motores estacionários e comboios a vapor, evoluíram e passaram a centrais de potência para grandes processos exigentes, com capacidade de fornecer débitos muito substanciais. Fornecem vapor de alta qualidade, desde vapor saturado seco até vapor sobreaquecido a alta temperatura, e devido ao design do permutador de calor, também têm capacidade para disponibilizar pressões de serviço muito elevadas. São adequadas para aplicações que requerem uma produção de vapor elevada (até 500 kg/s), vapor a alta pressão (até 160 bar) ou vapor sobreaquecido (até 550 °C).

A Babcock Wanson dispõe de uma equipa experiente de engenheiros, que concebem caldeiras com tubo de água para aplicações específicas, com pessoal mecânico e técnicos capazes de prestar assistência, coordenar os trabalhos de instalação e realizar a colocação em funcionamento das caldeiras.

Princípio de funcionamento:

Uma caldeira de tubos de água, é normalmente composta em quatro partes: um tambor de água de alimentação inferior (por vezes conhecido como tambor de lamas), um tambor de vapor superior, com uma superfície de água pela qual sai o vapor, tubos de água a ligar os dois tambores e uma secção de sobreaquecedor/economizador (em função da qualidade de vapor necessária). A água circula entre os dois tambores por convecção, com o calor a passar por cima dos conjuntos de tubos. A água arrefecida desce através de tubos específicos e a água reaquecida sobe até à parte superior da caldeira e para dentro do tambor de vapor. O vapor saturado é extraído na parte superior do tambor para o utilizador, ou encaminhado para um sobreaquecedor instalado em linha com os fluxos dos gases de combustão, para aumentar mais a temperatura. A água mais fria da parte inferior do tambor de vapor pré-aquece o abastecimento de água de alimentação, à medida que retorna ao tambor da água de alimentação. De modo a melhorar a eficiência energética, os : gases de combustão, são também utilizados para pré-aquecer o ar comburente, que vai para a fornalha e aquecer a água de alimentação.

 

Vantagens das caldeiras com tubo de água:

  • Produção de vapor de 4,5 a 80 t/h.
  • Vapor saturado e vapor sobreaquecido até 550 °C.
  • Eficiência superior a 95%, sem sistema de recuperação de calor adicional.
  • Pressão de serviço típica de 10-90 barg.
  • Adequadas para utilização em espaços interiores ou exteriores.
  • Podem ser utilizadas com todos os tipos de combustíveis líquidos e gasosos.
  • Fabrico em conformidade com a Diretiva Relativa a Equipamentos Sob Pressão (2014/68/UE – PED) e a Norma Harmonizada EN-12952.
  • Diferentes níveis de modos de operação e exploração da caldeira, desde modo com presença de operador, ou seja, com supervisão local permanente, até ao funcionamento sem operador permanente durante períodos de até 72 horas.
  • Muito fiáveis; o design da caldeira com tubo de água é muito robusto, devido aos diâmetros relativamente pequenos dos tambores de vapor e de lamas e ao respetivo funcionamento mergulhado.